sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Vida de pastor...



Quando se pensa na vida pastoral, muitos focam apenas no glamour. No imaginário de muitos, ser pastor é ser o centro das atenções, vivendo todo o tempo sob os holofotes. Não se pode avaliar o ministério pastoral por aqueles que estão na mídia. Estes são a minoria. A maior parte não tem carro, paga alugel e ainda precisa de um trabalho secular para manter-se. Ninguém imagina o quão desgastante é ser pastor! Além das expectativas dos membros da igreja, há também a pressão ministerial, as demandas familiares, as noites mal dormidas, a falta de tempo para cuidar da saúde, a solidão, e tantos outros desafios que tornam a vida pastoral num fardo difícil de carregar. É claro que envolve prazer! O prazer de servir a Deus! O prazer de ver Cristo sendo formado nas pessoas. De ver a igreja crescer saudável. De ver vidas resgatadas.

 Ademais, pastorear é uma maneira de expressar o quanto amamos a Cristo. Quando Pedro respondeu por três vezes a mesma pergunta feita por Jesus se ele O amava, também por três vezes o Senhor lhe incumbiu: Apascenta as minhas ovelhas! E isso requer que o pastor negue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-O.

Diante desta constatação, chegamos à conclusão de que pastores também necessitam de cuidados. Quem estaria apto a cuidar de pastores, senão outros pastores? Ninguém compreende melhor seus dramas e dilemas do que quem vive as mesmas coisas.

Não basta apelar a uma instância superior em busca deste tipo de ajuda. O supervisor, o superintendente, ou mesmo o líder máximo de uma denominação já tem problemas suficientes para ter que se preocupar com os problemas de seus pastores.

O fato é que pastores precisam apoiar outros pastores.

Há um episódio nas Escrituras em que Jacó se depara com três pastores que se reuniam para remover a pedra que havia na boca de um poço, a fim de dar de beber aos seus rebanhos (Gn.29:1-3). Aquele era um trabalho conjunto. Um só pastor não tinha força suficiente para remover a pedra.

Quantos ministros se sentem frustrados por estarem sós… Não têm com quem nem ao menos desabafar no momento de angústia.

Há situações que não podem ser compartilhadas nem com os cônjuges, tão pouco com os filhos. E assim, o pastor é obrigado a fechar-se em seu mundo interior e sofrer sozinho.

Foi para suprir esta necessidade que surgiu a UMBRELLA.


Não se trata de mais uma associação de pastores. Nosso objetivo não é apresentar fórmulas para o crescimento rápido de igrejas, nem representar nossa classe junto às autoridades. Nosso foco principal é o ministro, sua vida, sua família. Queremos prover conexão e comunhão entre os pastores, para que possam ajudar-se mutuamente. É claro que isso, de alguma maneira, resultará em crescimento ministerial. Porém, nossa prioridade é o ministro.

UMBRELLA é um vocábulo inglês que significa “guarda-chuva”. Como o nome sugere, nossa missão é oferecer cobertura. E quando dizemos “cobertura”, não estamos sugerindo nenhum tipo de hierarquia a que o ministro deva submeter-se. Não! Em vez disso, nosso propósito é oferecer cobertura em termos de CUIDADO. Trata-se de um cuidado mútuo, recíproco, do tipo “um por todos e todos por um”.

UMBRELLA também é uma sigla para União de Ministros no Brasil e Exterior Ligados em Liberdade e Amor.

Queremos que cada pastor espalhado pelo Brasil e pelo Mundo, independente de sua denominação, saiba que não está só.

Um comentário:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir